O Centro de Investigação Biomédica alarga a sua atividade com o recrutamento de 4 Investigadores Principais

Quinta-feira, Setembro 1, 2022 - 10:06

A Faculdade de Medicina da Universidade Católica Portuguesa contratou 4 professores associados que irão liderar equipas de investigação no Centro de Investigação Biomédica da Universidade Católica Portuguesa (Católica Biomedical Research Centre - CBR). Cláudio Franco, Luís Teixeira, Maria João Amorim e Raquel Oliveira iniciam funções a 1 de setembro de 2022. “A investigação é um dos pilares fundamentais da Faculdade de Medicina, estimulando a curiosidade e busca constante de descoberta científica que todos os que trabalham na área da saúde ambicionam. A integração dos investigadores na Faculdade de Medicina é um passo muito importante para promover pontes cada vez mais fortes entre a investigação e a clínica”, afirma António de Almeida, diretor da faculdade. Os novos investigadores integram também a direção do CBR, conjuntamente com Pedro Simas, diretor deste novo instituto. O CBR é um centro de investigação multidisciplinar e colaborativo que visa fortalecer a união entre a investigação e o ensino e a prática de medicina, promovendo a descoberta de soluções para melhorar a prevenção, o diagnóstico e o tratamento das doenças humanas. “A característica mais importante do CBR é a liberdade científica dos seus investigadores, essencial para a criatividade e inovação” acrescenta Pedro Simas. O CBR encontra-se localizado no Campus do Instituto Gulbenkian de Ciência, numa estreita colaboração entre a Universidade Católica Portuguesa e a Fundação Calouste Gulbenkian.

Os novos Investigadores dedicam-se ao estudo de diversos aspetos fundamentais da biomedicina. O grupo do Cláudio Franco estuda os mecanismos moleculares que levam à formação de uma rede vascular funcional. Este processo é essencial ao desenvolvimento embrionário, crescimento, regeneração e cicatrização dos tecidos. Anomalias neste processo estão associados a doenças como retinopatia diabética, isquemia, acidente vasculares cerebral, ou a angiogénese tumoral. O laboratório do Luís Teixeira está interessado nas relações estáveis entre hospedeiros e micróbios. Estas interações simbióticas vão desde parasíticas a vantajosas para ambos os parceiros. Este é o caso da proteção anti-viral que a bactéria intracelular Wolbachia confere a vários insetos, que está a ser usada para interferir com a transmissão de doenças virais por mosquitos. O grupo da Maria João Amorim estuda como é que os vírus replicam nos seus hospedeiros, e como é que os hospedeiros se conseguem defender. Compreender estes processos levará ao melhor controlo, prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças virais. Finalmente, o laboratório da Raquel Oliveira estuda como é que durante a divisão celular a informação genética é igualmente distribuída pelas células. Anomalias neste processo estão associadas a doenças genéticas, desenvolvimento de tumores e infertilidade. Para desenvolverem os seus programas de investigação, os investigadores contam com financiamentos internacionais do Conselho Europeu de Investigação, da Fundação La Caixa, do Instituto Americano para a Saúde e com projetos nacionais da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

O CBR tem uma perspetiva de crescimento e ambiciona atrair novos talentos para este projeto. Para tal, está aberto um concurso de manifestação de interesse para novos Investigadores Principais em vários domínios científicos, com uma enfâse particular em ciência de dados. O concurso está aberto até dia 30 de outubro de 2022.